terça-feira, 30 de março de 2010

Ah! O anonimato.

Postado por Babi às 19:32
Reações: 
0 Comente aqui.
Ser uma pessoa extremamente anônima como eu, tem seus previlêgios. Como por exemplo estar menos susetível a erros que serão assunto durante uma semana ou então, estar menos exposta ao julgamento.

Mesmo com tantos pontos bons, o anonimato ainda é visto como uma coisa ruim pelas que pessoas quase apelam para o rídiculo para poder ter seus 15 minutos de fama, ou muito menos.

Claro, existem pessoas que dês de pequenas querem se tornar atriz ou cantora, e esse sonho não morre com a idade, porém, venhamos e convenhamos : existem pessoas que realmente não levam jeito algum para a coisa.

Por favor, não pensem que sou uma daquelas frustradas invejosas que querem mais é que o mundo exploda. Não é isso, muito pelo cotrário, eu admiro as pessoas que colocam sua cara a tapa para serem julgadas e mal interpretadas. Porém, existem coisas que beiram o ridículo.

Existe uma grande lacuna entre ter chance de realizar seus sonhos com um talento nato que não se discute e uma criatura que pensa que tem algum talento. Existem pessoas que nascem com algum talento,e algumas, raras, que adquirem algum talento com o possar do tempo. Mas vamos lá né gente?! Não vamos ser ridículas né?

Não façam papel de idiotas sem noção, pois é essa a imagem que uma pessoa sem talento algum para atuar, cantar, dançar, desfilar, pular, andar com melancia no pescoço.. Enfim... é essa a imagem que esse tipo de gente passa para nós que estamos observando de longe.

Tenham planos plausíveis, pois sonhos não pagam as contas do final do mês. Não fique na espectatíva de ser encontrada por um caça-talento que esteja andando pela sua rua no mesmo instante em que você está cantando do chuveiro. Se isso for acontecer, vai acontecer. 




Ah, mudando de assunto. Vocês devem ter percebido que eu mudei minha playlist. Coloquei músicas do Abba, meu novo vício. Mutação por características adquiridas.

sábado, 20 de março de 2010

Postado por Babi às 14:33
Reações: 
0 Comente aqui.
Ser uma boa amiga não é secar as lágrimas e sim nunca deixá-las cair. Tenho que confessar que me sinto uma péssima amiga por deixar cairem tantas lágrimas e não poder fazer nada quanto a isso.

Não sou culpada por elas, mas tenho culpa de não ter o poder de tirar essa pedra do seu caminho. Queria que o tempo voltasse e eu enfim pudesse fazer com que metade das coisas nunca acontecessem.

Recapitulando:

Eu te detestava. Sim, como isso é possivel? Hoje você já faz parte dos meus dias. Não sei mais como seria chegar na escola e não te ver. Pois é, agora vou ter que reaprender a não ter alguém com quem eu pudesse fazer fofocas maldosas sem ser reprimida.

Quero que faça o que for bom pra você. Quero que seja feliz. Quero que mande tudo pro inferno e siga sua vida sem medo algum. Que encontre alguém que te faça feliz e o principal -  TE MEREÇA.

Eu nem sei porque estou fazendo esse post. Deve ser apenas por ter ficado com vontade de escrever ou pelo fato de ter que escrever tudo o que estou sentindo agora.

RAIVA. Isso que eu estou sentindo agora.

Não de você - nunca.

Estou com raiva de terem estragado nosso último ano juntas. Depois disso cada uma vai para um lado. Depois disso cada um segue seu caminho.

O que me conforta é saber que moro a menos de 20 minutos de você. hahaha =D

Sei que tem muitos amigos mas sei que também tem a mim e é por isso que te digo estarei sempre aqui.




Acho que terminei meu dasabafo.

Carpe diem!

domingo, 7 de março de 2010

Saudades do meu eu.

Postado por Babi às 14:55
Reações: 
0 Comente aqui.
Saudades do meu eu,
do meu eu que não se preocupava com o que os outros pensam;
do meu eu que brincava de boneca;
do meu eu que não pensava em problema algum;
do meu eu que poucas vezes chorava;
do meu eu que ria escandalosamente sem se preocupar em não parecer uma idiota;
do meu eu que mal estudava para as provas e mesmo assim tinha notas ótimas;
do meu eu que não comia tão compulsivamente;
do meu eu que gostava de estar em casa com meus pais;
do meu eu que se apaixonava sem medo de sofrer;
do meu eu que via filmes românticos na esperança de encontrar um príncipe encantado;
do meu eu que acreditava em Papai Noel;
do meu eu que perseguia as pegadas do Coelhinho da Páscoa;
do meu eu que usava manequim 36;
do meu eu que estava sempre com um sorriso estampado na cara;
do meu eu que um dia existiu dentro de mim, e que hoje está enterrado junto com o resto das lembranças boas de quando eu era apenas EU. 
 

Esse é o MEU conto de fadas. Copyright © 2010 Designed by Ipietoon Blogger Template Sponsored by Emocutez